Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
ONLINE
1


Total de visitas: 14443
Depressão: Efeitos colaterais e sexuais
Depressão: Efeitos colaterais e sexuais

 Os efeitos colaterais sexuais causados ​​pelos antidepressivos são completamente reconhecidos, mas isso representa um problema prático de controle para os médicos. A disfunção erétil, libido diminuída e orgasmo atrasado / atenuado ou ausente (disorgasmia ou anorgasmia) são os efeitos colaterais sexuais mais comuns relatados por causa do tratamento com antidepressivos.

No entanto, os efeitos colaterais sexuais causados ​​por antidepressivos também são um grande desafio para os médicos, uma vez que eles precisam distinguir entre disfunção sexual (DS) associada à depressão, DS emergente do tratamento e DS preexistente exacerbada pelo tratamento.

Fazer a diferença entre essas situações é muito importante, uma vez que as estratégias de tratamento não são as mesmas para os DS acima mencionados. A disfunção sexual associada à depressão pode ser tratada aumentando a dose do antidepressivo; no entanto, isso seria particularmente inapropriado para um DS emergente do tratamento, caso em que o apropriado é diminuir a dose.

Para gerenciar adequadamente a disfunção sexual induzida por antidepressivos, os especialistas recomendam que os médicos possam tentar aliviar os efeitos colaterais sexuais de uma droga por meio de uma redução da dose e / ou uma mudança para uma terapia alternativa que pode ser menos provável de causar efeitos colaterais sexuais. Essas estratégias são mais prováveis ​​de serem usadas em pacientes que não estão respondendo totalmente ao tratamento e também arriscam sacrificar o benefício terapêutico do tratamento.

Intervenções não farmacológicas também são recomendadas por especialistas. As técnicas comportamentais e cognitivo-comportamentais empregadas por terapeutas sexuais são as mais comuns, embora não existam estudos avaliando seu sucesso em pacientes em uso de antidepressivos.

Existem vários medicamentos bastante úteis no tratamento da disfunção sexual associada aos antidepressivos. Na opinião dos especialistas, os medicamentos mais comuns para a disfunção sexual induzida por antidepressivos se enquadram em três categorias:

Agentes dopaminérgicos, como amantadina e pramipexol.

antagonistas do receptor a2-adrenérgico, como a ioimbina.

Antagonistas dos receptores 5-HT2 ou 5-HT3 da serotonina, incluindo granisetron, nefazodona e ciproheptadina.